PUC vai eleger representante sindical dia 25 de novembro. Candidatos podem se inscrever até o dia 18/11
O SAAERJ informa que estão abertas, até 18 de novembro, as inscrições para candidatos que queiram disputar a representação sindical na PUC. A eleição ocorrerá nas dependências da PUC-Rio no dia 25/11.

Clique para ler o edital e ver como encaminhar sua candidatura
 
Eleições no SAAERJ: diretoria eleita toma posse em 15 de dezembro

Diretoria eleita. Ao centro, de camisa azul clara, o presidente Elles Carneiro

Num exemplo de cidadania e participação, associados do Sindicato participaram das eleições, elegendo a diretoria que estará à frente do Sindicato novo mandato 2014/2018.

Capitaneado pela Comissão Eleitoral, João Luiz, Celso e Vera, iniciou-se o processo de apuração das eleições 2014/2018 do SAAE-RJ as 10h 05min na sede do Sindicato. Garantindo a lisura do pleito, as 10 urnas, devidamente lacradas, foram colocadas à frente dos fiscais, membros da Chapa concorrente e demais pessoas presentes na plateia para início da apuração.

A Mesa Apuradora, Rosangela, Patrícia e Renato, indicada pela Comissão Eleitoral, passou a analisar toda a documentação produzida pelas 10 Mesas Coletoras de Votos, e, após achar todo o material conforme, efetivou a contagem dos votos sufragados em cada urna do modo tradicional. Ou seja, abriu urna a urna, virando o conteúdo das mesmas sobre a mesa, desdobrando e separando os votos que foram conferidos e reconferidos e contados sendo carimbadas as cédulas achadas em branco. Anunciado o resultado, a Chapa concorrente obteve 98,45% dos votos válidos. As 11h 38min, encerrou-se a apuração, com a assinatura da ata pelos presentes ao ato.

Início dos trabalhos: a partir da esquerda, Celso Cruz, João Luiz, Rosangela da Cruz, Vera Lucia, Patricia de Souza e Renato Nascimento, a postos para a apuração






A nova diretoria do Sindicato toma posse no dia 15 de dezembro de 2014.

Clique para ler a proclamação do resultado eleitoral



 
SAAERJ alerta: conheça os direitos do trabalhador com câncer
Em pleno Outubro rosa, mês de conscientização e prevenção do câncer de mama, vale a pena lembrar que todo trabalhador(a) com câncer tem direito:

- a sacar o saldo do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS);
- ao Programa de Integração Social (PIS);
- ao recebimento do auxílio doença, após os 15 os dias iniciais de afastamento para tratamento (cirurgia, quimioterapia, radioterapia) - até o 15º dia o empregado permanece recebendo sua remuneração por meio do empregador, a partir do 16º dia de afastamento, deverá ser encaminhado ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para afastamento (licença médica) e recebimento de beneficio previdenciário;
- após o fim do benefício previdenciário não pode haver demissão por um ano, sob pena de a empresa ter que pagar indenização;
- ser realocado pela empresa numa condição e função que não possa agrave a saúde, como estabelece a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Embora não haja estabilidade, existe jurisprudência em favor do trabalhador em caso de demissão discriminatória.

Clique para ler a íntegra da matéria publicada no jornal O Povo

Clique para ler sobre prevenção de câncer de mama de acordo com o INCA

Em novembro, assembleia da Masan decide sobre paralisação
Tendo em vista que a Masan não apresentou qualquer proposta para a negociação prometida para agosto, o SAAERJ fará realizar assembleia em novembro, em dia ainda a ser confirmado pela Diretoria, já apresentando a pauta para 2015 e não abrindo mão da pauta de agosto de 2014.

As reivindicações principais são: auxílio alimentação em torno de R$ 230,00 e sem compensação por cesta básica; salário digno para as auxiliares de cozinha (com identificação de quem é a cozinheira, uma vez que a função não existe); pagamento respeitando-se os pisos estaduais; cláusula que regulamenta a transferência dos empregados.

“Decidimos que faremos uma mobilização já nos preparando para uma greve da categoria, uma vez que a Direção da Masan está jogando duro conosco. Vamos continuar exigindo a adequação da conta salário pois a Masan, em alguns lugares, só está abrindo conta corrente para os funcionários e este assunto, se não resolvido de imediato, será levado ao Governo do Estado e à Procuradoria Regional do Trabalho”, explicou o Presidente do Sindicato, Elles Carneiro. 
 
3º Grau: Assembleia estipula condições para viabilizar CCT
Atendendo à convocação do Sindicato, a assembleia dos trabalhadores do 3º Grau reuniu um número 
representativo de auxiliares de administração escolar. Companheiros de todo o estado (Rio, Volta Redonda, Duque de Caxias, Campos, Macaé, entre outros municípios) 
compareceram à sede do SAAERJ, no sábado 27 de setembro, para definir o rumo da Campanha Salarial, diante da intransigência do sindicato patronal.

Foram decididos os parâmetros mínimos para que o SAAERJ possa fechar a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) deste ano. São eles:

- Reajuste pelo INPC integral (5,6154%) para os salários de março/2014 a agosto/2014; e reajuste de 7% de 1º de setembro/2014 a 28/fevereiro/2015. Com base nestes reajustes, seria calculado o pagamento das diferenças salariais, retroativas à data-base, 1º de março;

- tíquete refeição ou auxílio alimentação no valor de R$ 10,00 por dia útil do mês subsequente, a partir de 02/01/2015;

- manutenção das cláusulas de qualidade anteriormente conquistadas;

- que não conste o piso salarial na CCT.

Se o patronal se mantiver intransigente,  SAAERJ vai fechar acordos por instituição
Foi decidido ainda que, caso o sindicato que representa os patrões continue "empurrando com a barriga" e não negocie a CCT, vamos partir para a negociação com cada instituição, inclusive com a realização de grandes assembleias e mobilizações na porta das grandes instituições de ensino superior. Exigimos respeito e vamos conquistá-lo!

O Presidente do Sindicato, Elles Carneiro, avaliou o movimento: “Nossa assembleia foi muito positiva e propositiva. A ideia de realizar a AGE no sábado deu certo e estamos confiantes de que agora a coisa vai. Não é possível que um setor tão lucrativo como o das universidades deixe de olhar para o trabalhador, que também é seu patrimônio e responsável pela imagem de sua instituição. Vamos à luta!”
 
  Atenção: Auxílio Maternidade negado de 2004 a 2007 ou com cobrança de contribuição previdenciária, procure o SAAERJ
Quem teve o pedido de Auxílio Maternidade negado pelo INSS nos anos de 2004, 2005, 2006 e 2007, ou quem teve o benefício concedido, mas foi cobrada a contribuição previdenciária, procure o Sindicato, contato Aline Branco, nos telefones a seguir:
(21) 9643-69601 (Nextel)
(21) 7727-9697 (Nextel)
(21) 8254-1555 (Tim)
 
Trabalhadores da Galileo exigem justiça
Possíveis falcatruas repercutem na imprensa e Polícia Federal já trata do assunto

Conforme  o SAAERJ já denunciou em inúmeras ocasiões, os prejuízos causados pelo grupo Galileo a centenas de auxiliares de administração escolar são enormes, uma vez que sequer as verbas rescisórias foram recebidas, apesar de todas as ações judiciais que o Sindicato vem movendo. Sofrem igualmente os professores e os ex-alunos das universidades que, inclusive, participaram junto com o Sindicato de atos de luta e protesto. Pois bem, agora o jornal Povo do Rio vem publicando uma série de reportagens sobre o sumiço de R$ 100 milhões que estariam ligados a graves problemas de gestão, seguidos dos conhecidos  descredenciamento e fechamento das universidades Gama Filho e UniverCidade.

De acordo com o jornal, os recursos que deveriam ter sido aplicados pelo Grupo Galileo para recuperar e sanar as instituições educacionais teriam sido desviados pelo pastor Adenor dos Santos. Ele está sob investigação da Polícia Federal e também foi aberta uma CPI na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj).
O SAAERJ clama por justiça. Não é possível que os trabalhadores continuem pagando a conta de desvios, falcatruas e gestões fraudulentas. “Não queremos milagres, queremos justiça, queremos que a lei nos garanta o que a tão duras penas conquistamos: os nossos direitos trabalhistas”, desabafa o presidente do SAAERJ, Elles Carneiro.

Clique para ver a matéria publicada pelo Povo do Rio em
 
Gaylussac paga participação nos lucros aos trabalhadores
É com satisfação que o SAAERJ informa que o Colégio Gaylussac Empreendimentos Educacionais pagou 1,8 salários a título de Participação nos Lucros (PLR) aos trabalhadores. Celso Cruz, um dos diretores do Sindicato, lembra que o incentivo representa um reconhecimento das metas atingidas em 2013.

“A Gaylussac é um bom exemplo de instituição que valoriza o auxiliar de administração escolar, reconhece sua importância e contribuição para o sucesso dos negócios. Esperamos que sua conduta seja amplamente adotada”, declarou.
 
 

Presidente do SAAERJ denuncia maus empregadores na CPI das universidades privadas
Veja no vídeo abaixo.
 
Walmart Dia das Crianças
 

Novo mandato, novos desafios a conquistar

Prezados companheiros de luta,

É com grande alegria que me dirijo a vocês para, primeiro, agradecer o voto em nossa chapa e a confiança que depositam em nossa diretoria, e, depois, renovar nosso empenho e seriedade na defesa dos interesses dos Auxiliares de Administração Escolar.

Nossa estrutura sindical é sólida e eficiente. Além de nossa sede, no centro do Rio, contamos com nove delegacias sindicais que dão conta da representação em todo o estado do Rio de Janeiro. Possuímos um departamento jurídico de primeira, sempre defendendo os trabalhadores das instituições que insistem em não cumprir a CLT e nossa Convenção Coletiva, como recentemente o notório caso do grupo Galileo. Acompanhamos todos os processos, dia a dia, mesmo os que se prolongam imensamente, como foi o caso do Atrasadinho da UERJ, que vitoriosamente recebemos após quase 20 anos de luta. Oferecemos também, aos associados, planos médicos e odontológicos variados e de qualidade, a preços inferiores aos praticados no mercado.

Temos conquistado em nossas Convenções Coletivas ganho real e diversas cláusulas de qualidade, como gratuidade de ensino e adicional por tempo de serviço. Estamos agora em uma luta ferrenha pelo auxílio-alimentação e pela dignidade no Ensino Superior, onde até hoje, devido à intransigência patronal, não foi possível chegar a um acordo salarial justo. O caminho não é fácil, mas juntos, unidos, com seu apoio e mobilização, chegaremos lá, valorizando cada vez mais o Auxiliar de Administração Escolar.

Ao trabalho!

Veja aqui outros editoriais